Quanto tempo um filme fica no cinema?

Você já passou pela situação de querer ver um filme, mas não saber se ele ainda está sendo exibido nas salas de cinema perto de você e você se perguntou quanto tempo um filme fica no cinema?

Elencamos aqui os principais motivos que influenciam na permanência de um filme filme em cartaz.

Mas afinal de contas, quanto tempo um filme fica no cinema?

Os fatores que definem esse tempo de permanência podem ser bem variados, podendo ir de sucesso do título, até a escassez de outros lançamentos.

Normalmente a rede de cinema irá focar em qual filme é mais rentável e por sua vez é mais indicado a permanecer em cartaz, essa rentabilidade pode ser definida pelo fato de um filme fazer parte de uma grande franquia, ou ser o trabalho de um grande diretor.

Quanto tempo um filme fica no cinema?

Esse tempo será afetado também pela movimentação do mercado cinematográfico, se ele tiver aquecido com muitos lançamentos, obviamente a permanência de cada título será reduzida.

Em alguns casos, de filmes icônicos do passado, ou que é bastante ligado à história do local, pode se manter em exibição, ou voltar de tempos em tempos, logicamente que esses casos são apenas pontos fora da curva.

Quais motivos interferem na permanência?

Dos motivos que regem esse tempo, podemos colocar esses três como os mais importantes:

  • Sucesso de bilheteria.
  • Exigência da produtora, para a permanência ou não por mais tempo.
  • Lançamentos, quanto mais novos, maior a prioridade.

Existem também motivos secundários que interferem, como as preferências da coordenação do cinema, escassez de títulos e filmes que marcaram história.

Porém esse tempo, em média, entre um e três meses. Também podendo extrapolar essa média, como aconteceu com Vingadores-Guerra infinita, que foi um sucesso de bilheteria e sua permanência trouxe mais lucro para as produtoras de cinema.

Filmes que ficaram muito tempo em cartaz

O filme que ficou mais tempo em cartaz em um cinema foi “The Rocky Horror Picture Show”, que conta a história de um travesti que criava seres humanos artificiais.

Esse filme está em cartaz desde sua estreia em 1975, em Nova York e as pessoas vão assistir fantasiadas.

Já no Brasil, o título que permaneceu em cartaz por mais tempo foi “Medos Privados em Lugares Públicos”, que estreou em 2007 e foi exibido todos os dias nos Cinema Belas Artes, em São Paulo, quando foi fechado em 2012.

Quanto tempo um filme fica no cinema?

Porem, esses situações são exceções e não respondem aos fatores já descritos antes, portanto não podem ser considerados.

Ultimamente o fator quase que único para definir esse tempo, tem sido o financeiro, se fez sucesso e gerou dinheiro, fica mais tempo.

Quem paga meia no cinema?

Quem paga meia no cinema? Nesse artigo iremos abordar as condições e responder o que é preciso para se encaixar nelas.

Se você é uma pessoa que gosta de uma economia, mas sempre fica em dúvida na hora de ir ao cinema, sem saber se pode, ou não, pagar meia entrada.

Mas afinal, quem paga meia no cinema?

A Meia entrada é um direito assegurado por leis federais e também em âmbito regional. As leis federais abrangem todos os cinemas do Brasil e as regionais são restritas e complementam as federais, afim de deixar esse entretenimento mais acessível.

Quem paga meia no cinema?

As leis federais atualmente garantem a Meia entrada para idosos, deficientes, estudantes e jovens com renda baixa(idade entre 15 e 29).

A comprovação, por parte do indivíduo, que faz parte de tal grupo é obrigatória, mediante a apresentação de documento comprovatório, de acordo com o especificado na lei.

O que diz a legislação?

Essa lei garante, em território nacional, o benefício para alguns grupos.

LEI Nº 12.933/2013-Mostra o benefício do pagamento de meia para estudantes, idosos, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos com renda baixa em espetáculos artístico-culturais e esportivos, e revoga a Medida Provisória no 2.208, de 17 de agosto de 2001.

Essa lei também determina quais as condições para que cada grupo descrito possa usar o benefício, como quais documentos apresentar e quais passos seguir.

Estudantes

Esse grupo precisa apresentar a carteira de Identificação Estudantil, emitida por todos os órgãos estudantis espalhados pelo Brasil.

Os elementos que devem constar na CIE são :

  • Nome
  • data de nascimento do indivíduo;
  • Foto recente do estudante;
  • Nome da instituição;
  • Série atual do aluno;
  • Documento dentro da validade.

Para dar entrada nesse documento o aluno precisa se informar sobre os passos na coordenação de sua instituição de ensino.

Idosos

Documento de edentificação contendo uma foto.

Lei Federal 10.741/03 (Art. 23).

Pessoas com deficiência 

Elas precisam do cartão de Benefício da Assistência Social emitido pelo INSS, para atestar que é aposentado de acordo com a Lei Nº 142, de 8 de maio de 2013. Além de documento com foto.

Lei Federal 12.933/13 e Decreto Federal 8.537/1.

Jovens de baixa renda

Carteira de Identidade Jovem, feita na Secretaria Nacional de Juventude e de documento de identidade.

Leis municipais

Algumas leis tem abrangência apenas em alguns estados, fazendo com que fique mais fácil o acesso a esse entretenimento, por algumas categorias da sociedade.

São Paulo (SP)

Em São Paulo diretores, professores, coordenadores, supervisores e empregados de apoio das escolas estaduais e municipais são beneficiados .

São Paulo

Aposentados (Lei 12.325/1997). Necessária a apresentação do documento de identificação e cartão do INSS para a comprovação.

Minas Gerais (MG)

Estudantes do ensino médio (1º, 2º e 3º anos), com matrícula em dia tem direito a pagar meia.

Belo Horizonte

Jovens com menos de 21, têm direito a pagar meia entrada, segundo a Lei 9.070/2005.

Rio de Janeiro (RJ)

De acordo com a Lei 3.364/2000 os jovens com menos de 21 anos têm direito a pagar meia.

Rio de Janeiro

Profissionais da rede pública de ensino têm direito a pagar meia; segundo a Lei 3.424/2002.

É necessário a apresentar a carteira funcional, esse documento é retirado na Secretaria de Educação.

Goiás (GO)

Os profissionais da rede pública de ensino têm direito a pagar meia. Sendo necessária a apresentação de identificação com foto e comprovante de vínculo.

Goiânia

Doadores de sangue, que tenham o registro na Secretaria de Saúde ou no banco de sangue.

Existe a necessidade de apresentação de um documento de identificação com foto e o oficial expedido pela Secretaria de Saúde ou banco de sangue, válido.

Rio Grande do Sul (RS)

Doadores de sangue com registro no hemocentro e bancos de sangue dos hospitais. Segundo a lei do estado Rio Grande do Sul 13.891/2012.

Identificação é necessária, além da carteira de doação expedida pela Secretaria de Saúde ou pelos bancos de sangue do estado dentro da validade.

Porto Alegre

Indivíduos com idade menor que 15 anos têm direito a pagar meia, as Leis 9.989/2006 e 11.211/2012 afirmam isso. Aposentados e pensionistas do INSS também tem o benefício, desde que tenham uma renda até três salários mínimos, segundo a Lei Municipal 7.366/1993.

Eles devem apresentar um documento gerado pela Federação dos Aposentados e Pensionistas do Estado. Ou qualquer associações que represente a Classe, que sejam afiliadas à federação.

Quais os estúdios de cinema brasileiros faziam chanchadas?

A chanchada foi um gênero de cinema brasileiro que fez muito sucesso entre os anos de 1930 e 1960, eram comédias musicais e as características predominantes eram elementos de filmes policiais e humor ingênuo, de caráter popular.

Quais os estúdios de cinema brasileiros faziam chanchadas?

Mesmo fazendo muito sucesso no Brasil, não se pode considerar que esse gênero foi criado aqui, pois existem registros semelhantes em outros países, como Portugal, México e Argentina.

Características da Chanchada

Eram filmes que retratavam o cotidiano do povo brasileiro, baseando os seus personagens em traços de personalidade comuns e bem caricatas, como malandragem, jeitos de falar e gírias.

Tinham um humor simples e popular, inserindo traços de música e dança em seu enredo, com um dos principais temas sendo o carnaval carioca daquela época e seus bailes.

Quais os estúdios de cinema brasileiros faziam chanchadas?

Tenha uma narrativa bem básica e linear, onde os personagens principais encontram um problema, um personagem cômico vem ao seu auxílio, o vilão é confrontado e depois derrotado.

A chanchada no Brasil foi dividida em 5 fases distintas, que apresentavam o diferencial em seus enredos e alguns aspectos auxiliares na trama.

Fases das chanchadas

Existem algumas divergências a cerca do início das chanchadas, com relação a qual obra realmente iniciou esse período dos cinemas. Já em relação ao fim, se deu com a chegada do cinema novo e o fim das comedias ingênuas.

Primeira fase – comédias mudas

A primeira experiência de se fazer humor foi em 1908, com o curta Nhô Anastácio Chegou de Viagem. Contava basicamente as desventuras de um caipira que chega pela primeira vez na cidade grande, conhecia uma corista, e no final acabava apanhando de sua mulher.

Nesse filme vê-se alguns traços se tornaria a chanchada dos anos 50. Como as de Zé Trindade, cômico baiano que fazia um mulherengo que era atormentado por sua mulher. As comédias mudas não duraram muito, graças à chegada do som nos filmes em 1929.

Segunda fase – Os filmes musicais

A Cinédia lançou filme chamado A Voz do Carnaval, que era apenas um desfile de cantores da época, mostrando cenas do carnaval do Rio e São Paulo. O filme fez muito sucesso e levou milhares de fãs rádio ao cinema, para ver como eram os rostos daqueles cantores que eles só conheciam por voz.

A empresa lançou também vários musicais com temática de carnaval, com  Alô, Alô, Carnaval (1936), um grande marco no cinema brasileiro. Com muito pouco enredo e cheio de música, o filme foi considerado o maior sucesso dos anos 30.

Além do tema carnaval, a empresa gravou comédias, adaptando o Teatro de Revista, lançando grandes cômicos como Oscarito, Grande Otelo e Mesquitinha.

Terceira fase – Os carnavalescos da Atlântida

Acompanhia Atlântida foi fundada pois que queriam um compromisso mais sério com o cinema. O primeiro filme, Moleque Tião, da empresa foi um sucesso, um drama sobre a vida de Grande Otelo, que fazia ele mesmo no filme.

Os filmes seguintes que foram dramas mais intensos foram um fracasso. forçando aos fundadores a apelarem para as temáticas carnavalescas e com mais músicas.

A dupla formada por Oscarito e Grande Otelo dominou os cinemas da época. Com uma química inigualável, arrastaram multidões para as salas de cinema, até 1954, quando filmou seu último trabalho.

Outros filmes que obtiveram muito sucesso nessa época, com muitos elementos musicais, firam Fantasma por Acaso de 1946 e …E o Mundo se Diverte de 1948.

Quarta fase – A chanchada

O diretor Watson Macedo, que está a frente de grandes filmes da década de 40, em 1949 filmou, com o galã Anselmo Duarte, o primeiro conceito ideal de chanchada.

 Carnaval no Fogo tinha basicamente todos os fundamentos do fenômeno popular: O mocinho e a mocinha correndo perigo, cômico tentando ajudar mas se dando mal, vilão tentando acabar com eles, mistério, uma luta final e um final Feliz.

Nesse filme, Oscarito e Grande Otelo interpretam a icônica cena do balcão, de Romeu e Julieta, e se coroam como os maiores comediantes do Brasil.

Oscarito faz muito sucesso e consegue quase que o monopólio do mercado cinematográfico, Dando muito lucro para a Atlântida, porem ganhava muito ‘mal’. Estrelou basicamente todos os filmes, e basicamente não teve rival, até  1956, quando surge a Herbert Richers.

Quinta fase – As chanchadas B

Antes da Herbert Richers, existiam algumas companhias que também lançavam chanchadas. A Cinelândia Filmes, fez várias comédias tendo um novo ator no elenco, Ankito. Conseguindo grande sucesso, repetia a fórmula, mas o nível técnico das chanchadas estavam bem abaixo dos da Atlântida.

A Herbert Richers chegou para rivalizar da Atlântida, com a direção de Luiz Severiano Ribeiro, teve o monopólio do circuito cinematográfico do país.

Isso trouxe a tona novos atores: Zé Trindade, Dercy Gonçalves e Ankito, que tiveram o seu apogeu nesse momento. Várias chanchadas foram lançadas nesse período. O que fez a crítica condenar muito o gênero.

Quais os estúdios de cinema brasileiros faziam chanchadas?

Existem basicamente dois estúdios principais na produção desse gênero cinematográfico, a companhia Cinédia e a Atlântida Cinematográfica, sendo delas os principais títulos de chanchadas.

Quais os estúdios de cinema brasileiros faziam chanchadas?

Mesmo se baseando em caricaturas dos norte americanos, as chanchadas tinham temas bem nacionais, como o jeito de falar carioca e a malandragem típica do brasileiro.

Juntas, essas duas companhias cinematográficas, produziram mais de 50 filmes entre o período de 1930 e 1960.

Os principais estúdios brasileiros que faziam chanchada

No inicio desse período existiam dois, a companhia Cinédia e a Atlântida Cinematográfica, eles dominavam a produção de chanchadas no Brasil, sendo donas dos principais títulos desse gênero.

Existiram outros estúdios, algumas com grande expressão, como a Herbert Richers, e outros menores, mas não menos importantes, como a Sonofilmes e a Cinelândia Filmes.

Atlântida Cinematográfica

Atlântida Cinematográfica foi fundada em 18 de setembro de 1941, no Rio de Janeiro por Moacir Fenelon e José Carlos Burle. Produziu 66 filmes até 1962, quando encerraram as atividades, se tornou a produtora mais bem sucedida do Brasil.

Quais os estúdios de cinema brasileiros faziam chanchadas?

Estreou nos cinemas com o filme “Moleque Tião”, porem, fez mais sucesso com chanchadas baratas e bem populares, como:

  • Nem Sansão nem Dalila
  • Matar ou Correr
  • Aviso aos navegantes

As chanchadas dominaram o mercado até metade da da década de 50, com artistas cômicos inigualáveis como:

  •  Grande Otelo
  •  Oscarito
  • Zé Trindade
  • Cyl Farney
  • Eliana Macedo
  • Julie Bardot
  • Fada Santoro

Em novembro de 1952, houve um incêndio muito grande no depósito dos estúdios da Atlântida , causando bastante danos, de onde foram salvos apenas três filmes: Três Vagabundos e Meu Amigo Bicheiro e Casa da Perdição, estrelados por Oscarito, Grande Otelo e María Antonieta Pons. Houve apenas uma vitima fatal.

Companhia Cinédia

A Cinédia foi uma companhia de cinema fundada em 15 de março de 1930, no Rio de Janeiro. Foi uma das produtoras mais importantes do Brasil entre os anos 1930 e 1940.

A Cinédia foi criada por Adhemar Gonzaga, focando na produção de dramas populares e comédias musicais, que ficaram conhecidas como Chanchadas.

O maior sucesso de bilheteria da companhia Cinédia foi O Ébrio, de 1946, produzido por Gonzaga e dirigido por Gilda de Abreu.

O local onde funcionavam os antigos estúdios da Cinédia no Rio foram usados para as gravações da novela Malhação da Globo, entre 1995 e 1998, quando a mesma se passava em uma academia de ginástica.

Atualmente, a Cinédia funciona em uma sede no bairro da Glória, onde estão os seus acervos documentais e de equipamentos.

Principais chanchadas

Veja as alguns principais chanchadas do cinema brasileiro:

  • Nhô Anastácio Chegou de Viagem
  • Moleque Tião
  • Gente Honesta
  • Gol da Vitória
  • Carnaval no Fogo
  • Carnaval Atlântida
  • Alô, Alô, Brasil! 
  • Maridinho de Luxo
  • Onde Estás Felicidade?

Esses títulos só arranham o grande numero de filmes produzidos no Brasil, nessa época, todos com, praticamente, a mesma abordagem e temas

Principais atores de chanchada

Essa é uma lista dos principais atores que estrelaram as chanchadas no Brasil:

  • Oscarito
  • Grande Otelo
  • Cyll Farney
  • Anselmo Duarte
  • Eliana Macedo
  • Fada Santoro
  • Adelaide Chiozzo
  • José Lewgoy
  • Renato Restier

Esses e muitos outros atores fizeram a alegria de uma geração, marcando a história do cinema brasileiro.